Menina transgênero de Jaboatão é adotada por família com mãe trans

Casal de Mairiporã (SP) e a criança se encontraram através do trabalho da Coordenadoria da Infância e Juventude do Estado (CIJ) e da Comissão Estadual Judiciária de Adoção (Ceja) de Pernambuco, através do programa ‘Busca Ativa’

Alice é uma menina recifense de dez anos que conquistou o que toda criança merece: um lar com amor, carinho e acolhimento. Além disso, a criança ganhou também o direito de ser quem quiser, a partir da compreensão do seu sentimento de inadequação em relação ao gênero.

A história do encontro entre ela e os pais adotivos, Alexya Lycas Evangelista e Roberto Salvador Junior, ganha contornos ainda mais especiais pelo fato de Alice ser uma menina trans de Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife, adotada por um casal paulista composto por uma mulher também trans.

A adoção foi concedida pela juíza Christiana Caribé, da Vara da Infância e Juventude de Jaboatão. A sentença também autorizou a mudança do prenome masculino para o feminino no documento de certidão de nascimento. Alexya e Roberto, os pais, comemoram a decisão.

“Para nós, é um momento de alegria, porque se concretiza um sonho. Ainda mais por ela poder ter uma nova certidão com o prenome retificado e a identidade de gênero também. Saber que ela nunca vai passar pelo o que eu passo, pois meu prenome de registro civil ainda é masculino. Ela nunca vai sofrer transfobia nesse sentido”, ressaltou Alexya.

A criança vivia no Lar de Maria, uma casa de acolhimento no município. Antes de ser adotada, Alice vestia-se como um menino, mas sempre se identificou como menina.

O estágio de convivência entre ela e a nova família começou em setembro de 2016, quando a criança embarcou com os pais para Mairiporã, em São Paulo. Antes disso, Alice viveu por um ano e meio no Lar de Maria, em Jaboatão. O primeiro encontro presencial foi na casa de acolhimento de Jaboatão, no dia 22 de setembro do ano passado.

leia mais…